Imaginando Negócios

Imaginando Negócios

Como o mundo moderno está mudando o mundo dos negócios

Você pode navegar pela prateleira utilizando as teclas e

Relembrando o passado, potencializando o futuro.

2013

Quando lemos biografias de empreendedores e personalidades, nos deparamos com a realidade que muitas vezes a infância de cada um foi crucial pra seu futuro. Na verdade, as grandes forças de nossas vidas são desenvolvidas no período mais criativo de nossas vidas, nossa infância. Um exemplo foi Walt Disney, cuja habilidade nos traços dos desenhos foi detectada desde a infância e na escola ele desenhava nas margens dos livros, e ao folhea-los conseguia a ilusão de animação. Outro foi Steve Jobs, que quando criança já era apaixonado pelos detalhes dos designs dos carros que o pai concertava, e essa fixação pelo design marcou a trajetória da empresa que ele construiu.

Seriam então os “talentos” da infância as nossas forças do futuro?

Se traçarmos um paralelo entre nossa infância e nossas atividades hoje, podemos detectar uma relação interessante entre os diversos pontos.

Nossos talentos infantis X nossas habilidades atuais

Numa esfera simplista, podemos quebrar em 2 grupos de habilidades: lógicos e criativos. No primeiro, atividades como quebra-cabeça de blocos, exercícios com números e atividades esportivas com regras tendem a demonstrar  uma linha mais racional, que pode refletir em profissionais mais pragmáticos e de raciocínio ágil. Já as habilidades criativas como desenho, pintura e brincadeiras performáticas refletem profissionais com perfis mais inovadores que podem exercer atividades criativas e soluções inusitadas. Claro que o ser humano é complexo para se dividir em duas características, na verdade somos formados ambas em pesos e ações diferentes. Estes são alguns exemplos de como podemos contrapor estes 2 perfis. Tente fazer uma analise de algumas relações entre sua infância e seu presente.

Pais que corrigem X lideres pesados

Uma segunda analise que podemos realizar é comparar a tratativa que os pais davam ao talentos e fracassos dos filhos e como nossos lideres agem hoje. Erramos mais incentivados ou corrigidos quando erramos menores. E hoje, somos mais desafiados em nossas habilidades ou ouvimos sempre o velho discurso que “devemos sair da nossa zona de conforto”. O pensamento cristão do dogma do pecado criou uma sociedade onde os erros são mais punidos do que os acertos elogiados. Contrapondo a isso temos o movimento do novo pensamento, cujo principal discurso é a lei da atração que direciona o pensamento positivo como forma de atingir resultados positivos, culminando em um trabalho mais focado nas forças do que nas fraquezas.

A criança cresceu

O melhor exercício para se tornar um profissional melhor é o auto-conhecimento. E olhar para traz é uma forma de redescobrir nossas forças e encontrar formas de recuperar a essência de nossa personalidade. Resgatando estes pontos da infância, podemos identificar nossas forças do presente e desenvolvê-las para um futuro ainda mais promissor. E ao invés de sair da zona de conforto, lembrar sempre de nos fortalecer na zona de nossas habilidades.

O que você acha?

Mantenha seus comentários educados e focados no tópico.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: